O Projeto

Home»O Projeto

Histórico

O Projeto MAArE – Monitoramento Ambiental da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo e Entorno originou-se a partir de uma condicionante indicada pelo Instituto Chico Mendes para Conservação daBiodiversidade (ICMBio), no âmbito do processo de licenciamento ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), relacionado às atividades da PETROBRAS nos campos petrolíferos de Baúna e Piracaba, região Sul do Brasil.

A concepção do Projeto MAArE foi uma parceria entre a equipe técnica da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo (Rebio Arvoredo) e pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

A Coordenação e Gerenciamento técnico e operacional  estão sob a responsabilidade do Departamento de Ecologia e Zoologia (ECZ/CCB/UFSC) e o apoio administrativo sob responsabilidade da Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária (FAPEU).

O Projeto teve início em junho de 2013 e contou com uma EQUIPE de cerca de 150 pessoas entre coordenação, pesquisadores, técnicos, bolsistas e pessoal de apoio. 

O monitoramento ambiental foi subdividido em duas grandes áreas: Parâmetros Oceanográficos e Indicadores Biológicos, os quais por sua vez, foram divididos em 13 subáreas, conforme mostrado no quadro abaixo.

Área

Subárea

Indicadores Biológicos

Biodiversidade do Bentos de Substrato Consolidado e Espécies Exóticas

Crustáceos

Macro-Invertebrados de Substrato Consolidado

Taxonomia e Biodiversidade de Algas Marinhas

Macro-Invertebrados de Substrato Inconsolidado

Biodiversidade de Peixes Recifais

Parâmetros Oceanográficos

Análise de Água – Nutrientes

Análise de Água – Pigmentos Fitoplanctônicos e Material em Suspensão

Sensoriamento Remoto e Oceanografia

Hidráulica Marítima

Zooplancton

Elementos Traços

Compostos Orgânicos

 

Com essa integração de informações, espera-se uma melhor compreensão sobre as respostas da biodiversidade frente a possíveis mudanças nas características do ambiente.

Para esse trabalho multidisciplinar, o Projeto contou com a parceria de diversos laboratórios de pesquisa da UFSC, nas áreas de Geociências, Biologia, Química e Engenharia Ambiental e da Fundação Universidade Federal do Rio Grande (FURG).

 

Objetivos

O objetivo central do Projeto MAArE é a realização de monitoramento ambiental de longo prazo para a região da Rebio Arvoredo e entorno para subsidiar as ações de gestão da Unidade de Conservação (UC) por sua equipe técnica.

Para atingir esse objetivo foram concebidos os objetivos específicos apresentados abaixo. Os resultados desses objetivos são apresentados nos PRODUTOS gerados pelo Projeto.

Objetivos Específicos:

  1. Estabelecer um patamar de referência (“baseline”) sobre o conhecimento acerca da biodiversidade marinha na ReBio Arvoredo e entorno;
  2. Monitorar quantitativamente as comunidades de peixes, algas, crustáceos, organismos da macrofauna bêntica, banco de rodolitos e Madracis Decactis, e plancton, espécies invasoras e exóticas;
  3. Caracterizar as propriedades das massas d’água e condições meteorológicas , bem como as correntes e as variações do nível do mar;
  4. Monitorar as concentrações de hidrocarbonetos, esteróis e elementos traço (metais) nos sedimentos do fundo marinho;
  5. Implementar um Portal de Dados Georeferenciado para armazenar os dados gerados pelo projeto;
  6. Divulgar os resultados do projeto através  da publicação de um livro apresentando os resultados e a experiência de monitoramento do Projeto MAArE, assim como disponibilizar os produtos gerados através deste website. 

 

brunagregoletto_2015-01-27_ID_ilha_do_arvoredo_6-1024x575

Ilha do Arvoredo. Foto: Bruna Gregoletto

Área de estudo do Projeto MAArE. O polígono delimitado pela linha tracejada representa a área da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo. Estações oceanográficas completas: amostragem de parâmetros físico-químicos, plâncton e sedimento; CTD: amostragem de parâmetros físico-químicos. + indica a localização de instrumentos para registros de dados contínuos: marégrafo, ADCP e estação meteorológica.